ELETROESTIMULAÇÃO MUSCULAR E ESTABILIDADE DO CORE

O trabalho com eletroestimulação muscular nos permite desfrutar de inúmeras aplicações, sempre baseadas em dois princípios básicos:

1- Aumento no recrutamento de motor

2- Biofeedback, para induzir contrações musculares em que o sujeito não é capaz de produzi-las sozinho ou melhorá-las.

Mas, para que o trabalho com eletroestimulação seja orientado adequadamente para o propósito desejado, devemos controlar os parâmetros elétricos; neste post vamos nos concentrar no trabalho de estabilidade do core.

  • Seleção de parâmetros elétricos:
  • FREQUÊNCIA: Neste caso queremos melhorar a estabilidade da área abdominal, que depende principalmente da fibra de tônica, então temos de trabalhar entre 10 e 30 Hz importante ressaltar que, se as exigências de estabilidade foram a situações repentinas e poderosas poderia ser um combate de judô seria conveniente para desenvolver exercícios específicos com frequências superiores a 80 Hz (força máxima) ou mesmo além de 100 Hz (potência).
  • CRONAXIA: dada a área a trabalhar lhe corresponde a uma Cronaxia média de 300 us.
  • INTENSIDADE: depende o objetivo, o máximo tolerável se procurarmos o máximo recrutamento motor ou intensidades moderadas se quisermos trabalhar com qualidade técnica.
  • Em relação ao arranjo dos eletrodos:
  • COLOCAÇÃO ANALITICAS : polo positivo e negativo disponível de um circuito no mesmo músculo, que poderia estimular seletivamente o reto abdominal, o oblíquo maior ou menor. Este trabalho nos ajudaria a potencialização ou aumentar a consciência do corpo de um músculo especificamente.
  • MYOX SEM SYSTEM:
  • CADEIAS CINÉTICAS: nos permitiria estimular simultaneamente o grupo de músculos envolvidos em um padrão motor específico.
  • CO-ATIVAÇÃO: permite-nos estimular os músculos antagonistas no mesmo circuito (ver foto: abdominal <reto e oblíquo> + lombar quadrado).

Controlados estes parâmetros o treinador deve decidir a simultaneidade ou não das execuções com o estímulo elétrico, por exemplo:

  • Solicitar expiração forte simultânea à estimulação elétrica, mantendo a postura (ver foto) em isometria e descansando na fase de repouso do eletroestimulador, ou …
  • Expirar e manter a isometria na fase de repouso para a fase de estimulação elétrica solicitar ação dinâmica, como rotações do tronco ou aduções / abduções do quadril.

 

JUAN PERIS

juan@juanperis.fit

 

Deja tu comentario

WhatsApp chat