Sedentários se iniciando no treinamento com eletroestimulação

 

O primeiro que se deve esclarecer é que “se deve entender que a eletroestimulação como um complemento ao exercício físico”, e complemento, sempre!!

E agora vamos entrar na matéria, um sedentário pode iniciar no mundo da eletroestimulação muscular? Sim, claro que sim. De fato este, sistema de treinamento está fidelizando uma quantidade de pessoas originalmente sedentária. A responsabilidade de uma boa pratica cai sobre o treinador e sua capacidade de individualização e progressão do esforço. Apontamos aqui algumas chaves:

  1. Implementar a eletroestimulação como um recurso a mais no treinamento, não esquecer a importância do trabalho cardiovascular.
  2. Se trabalha com trajes, não conectar todos circuitos nas primeiras sessões, ir em progressão segundo a resposta e necessidades.
  3. Iniciar o trabalho fazendo coincidir o impulso elétrico com contrações isométricas (evitar fases excêntricas reduz o dano muscular)
  4. Priorizar inicialmente os estimulo das fibras lentas (frequências inferiores de 30 Hz), para prevenir uma maior liberação de CPK e mioglobina na fibra rápida
  5. Aplicar tempos curtos de treinamento, para ir pouco a pouco aumentando o volume de trabalho
  6. Lidar com densidades (tempos contração/repouso) iniciais de mínimo ½, que dizer, dobro de tempo de repouso que de esforço

 

Adiciono que tanto em sedentários como em qualquer sujeito, finalizar as sessões com um mínimo de 10 minutos a 8Hz (programas de vascularização) ajuda em grande medida a reduzir a acidez muscular e prevenir efeitos secundários.

 

 

Deja tu comentario

WhatsApp chat