TREINAMENTO DE FORÇA COM COLETE DE ELETROESTIMULAÇÃO MUSCULAR

Treinamento de força com trajes ou coletes de eletroestimulação muscular, que fatores devo considerar?

 

O treinamento com a EMS GLOBAL através de trajes ou coletes de eletroestimulação muscular se espalhou nos últimos anos em todo o mundo. Mas os treinadores estão aplicando com critérios? Existe um conhecimento real de como a eletroestimulação deve ser aplicada?

 

Neste post vamos focar na aplicação da EMS Global no treinamento de força e vamos tentar oferecer de um modo simples e prático  este critério que lamentavelmente pensamos que não existe hoje e que isto não só supõe um desprestígio para o profissional e a tecnologia em si, mais se não pior ainda , supõe que o cliente não está recebendo um serviço de acordo com seus objetivos e também está se expondo ao um risco.

 

O treinamento de força é, por muitas razões, o mais procurado em todo o mundo pelos clientes que vai aos centros esportivos, todos nós encontramos declarações familiares como estas:

  • Eu gostaria de tonificar meu corpo
  • Gostaria de endurecer, acho que tenho flacidez
  • Eu gostaria de levantar minha bunda e me sentir mais bonita
  • Eu quero aumentar o volume dos meus braços e peito
  • Eu preciso ganhar força para competir …

 

Então o personal trainer que trabalha com a eletroestimulação muscular global deve ter claras duas principais ideias:

  • A eletroestimulação muscular mostrou-se eficaz no ganho de força e massa muscular.
  • A eletroestimulação muscular é um complemento ao treinamento e não a um único sistema.

 

A partir daqui, falamos sobre individualizar o treinamento para os nossos clientes, para fazê-lo de uma forma prática e reprodutível, vou continuar minha escrita como pontos:

  1. QUAIS SAO OS PARÂMETROS ELETRICOS PARA DETERMINAR OS DIFERENTES OBJETIVOS?
  • INTENSIDADE (mA): uma vez realizado a adequada progressão do treinamento com os critérios de progressão Myox EMS e nos encontramos no ponto ideal para exigir o máximo para o nosso cliente / atleta, poderemos administrar a máxima energia tolerável tendo em conta os diferentes ” supostos máximos “:
  • Máxima isométrica: execuções sem movimento
  • máximo dinâmico: a intensidade aplicada deve permitir uma amplo movimento de articulações
  • máximo técnico: deve permitir execuções técnicas com qualidade, em nenhum caso o impulso elétrico estará causando uma deterioração técnica.

 

Também devemos levar em conta dois grandes perfis de clientes:

  • Usuário comum que deseja tonificar: não há necessidade de levá-lo ao máximo tolerável, sim podemos aumentar gradualmente o nosso nível de exigência, mas não se justifica alcançar a estes máximos.
  • Atleta profissional ou atleta exigente: sim, precisaremos atingir esses níveis de exigência máxima, obviamente, com planejamento adequado.

  • CRONAXIA (us): tempo mínimo de impulso para produzir despolarização do nervo motor e consequentemente a contração muscular. Também chamado tecnicamente de “largura de pulso” porque corresponde à largura (duração) da onda elétrica retangular. O ideal é poder respeitar as Cronaxias para as respectivas áreas musculares:
  • ANTEBRAZO: 150 us
  • BRAÇO: 200 us
  • TORAX: 250 us
  • ABDOMEN: 300 us
  • COXA E GLUTEOS: 350 us
  • PERNAS: 400 nus

 

Para as marcas de trajes ou coletes de eletroestimulação que não permitem a personalização da cronaxia por áreas, recomendamos:

  • Comece com o cronaxias de 150 a 200 us nas primeiras sessões
  • aumentando progressivamente, ter em conta que uma cronaxia maior também significa um maior recrutamento motor.
  • Os níveis máximos de força estarão entre 300 e 350 us.

 

  • FREQUENCIA (Hz): número de impulsos por segundo, é o principal parâmetro elétrico e determina o objetivo. Em relação ao tema específico que nos interessa neste artigo, especificamos os seguintes dados:
  • Ganho de tônus ​​muscular: 45 a 55 Hz, máximo de 60 Hz
  • Ganho de massa muscular: 70 a 75 Hz
  • Ganho de força e resistência: 60 a 70 Hz
  • Ganho de força máxima: 80 a 100 Hz
  • Ganho de Potência: 100 a 120 Hz
  • Ganho de potência em profissionais: até 150 Hz

 

RAMPA: tempo que leva desde do início do impulso à sua intensidade máxima, desde Myox recomendamos trabalhar de forma sensata, rampas é um dos parâmetros mais simples e ainda mais incompreendido e pior usado no mercado da eletroestimulação global. De Myox defendemos que o treinamento ideal é a soma de: PRECISÃO + SEGURANÇA + EXIGÊNCIA.

 

E isso quer dizer, programamos para alcançar nosso objetivo e se podemos alcançá-los com melhor conforto, ah! Sim, claro, se nosso objetivo for esportivo e a exigência de resultados for um sacrifício de conforto, pois deve ser assumido. Propomos o seguinte em relação às rampas:

  • ganho de tônus ​​muscular em sujeitos não profissionais: 1,5 s de rampa de subida (1,2 rampa de descida)
  • ganho de força resistência ou hipertrofia: 1,2 rampa de subida (0,8 rampa de descida)
  • ganho de força máxima: 0,8 rampa de subida (0,6 rampa de descida)
  • potência: 0.4 ou 0.5 rampa
  • potencia em profissionais (boxe, salto, …): 0 s de rampa, a eliminamos.
  • Nota 1: a rampa de descida é o tempo que a intensidade leva para cair para zero e geralmente é um pouco menor que a subida. Uma contração é a soma de: RAMPA DE SUBIDA+ MANTENIMENTO DO IMPULSO + RAMPA DE DESCIDA.
  • Nota 2: Tudo descrito neste artigo corresponde aos protocolos de Myox advanced training.

Thais entrenando con easy motion skin, myox.fit

  1. MEU OBJETIVO É GLOBAL OU ESPECÍFICO?

Ok, eu me considero um personal trainer especialista em eletroestimulação muscular, por isso devo atender precisamente a minha função principal: “personalizar o treinamento com eletroestimulação muscular”. Bem, de Myox EMS nós vamos ajudá-lo em este sentido:

 

Estudos mostraram que os ganhos de força com eletroestimulação são significativamente maiores quando um treinamento é realizado de forma local ou analítica, comparado a um estímulo global de uma grande massa muscular. Portanto, a partir da metodologia Myox EMS, nós ensinamos nossos alunos a compreender um traje de eletroestimulação não como “uma unidade ou um todo”, mas como a soma de muitas unidades, ou seja, a soma de 8, 10 ou 12 circuitos. E é que esse modo de entender um colete de eletroestimulação muscular supõe que o profissional terá a capacidade de tomar uma quantidade e qualidade de decisões muito superiores.

Vamos então, por que te contamos tudo isso? Porque quando nos encontramos com o caso de um cliente que nos diz que sua intenção é fortalecer e levantar os glúteos o que devemos fazer é focar o impulso nesta área, aconselhamos que conecte apenas o circuito que estimula este grupo muscular. O mesmo acontece quando um atleta deseja realizar um treino para o máximo de hipertrofia em seus bíceps. Concentre-se em um único grupo muscular antes de estes desafios nos permite aplicar a melhor técnica, controlar os tempos e ritmos, e, claro, a quantidade de intensidade tolerada de forma local será maior do que se o estímulo for geral e como eu disse antes nos permitirá alcançar os maiores benefícios.

Por outro lado, se por razões de tempo, objetivos, ambições ou necessidades reais o propósito é o ganho de força ou tônus geral, podemos trabalhar com os equipamentos conectado. Mesmo assim, desde Myox, recomendamos aplicar critérios de progressão em termos do número de músculos envolvidos.

 

  1. QUE EXERCÍCIOS POSSO APLICAR?

Bem, este é um tópico muito extenso a ser seguido, então passo a dar respostas concretas e práticas e para mais informações, aconselho-o a ler mais artigos do nosso blog sobre eletroestimulação muscular.

 

Gostaria de destacar esses posts:

 

Tendo recomendado estas leituras, comentamos:

  • Exercícios analíticos, normalmente monoarticulares, quando se toma a decisão de realizar treinamento de força em uma área específica, onde todas as exigências técnicas e de esforço serão concentradas.
  • É interessante destacar neste ponto que, em exercícios globais, multiarticulares como o “agachamento” ou “squats”, pode ser que a eletroestimulação provoque a máxima implicação de um dos músculos envolvidos neste gesto.
  • Exercícios globais quando a eletroestimulação é aplicada e modo global, ou seja, todo o traje é conectado.

 

Gostaria de pontualizar que um dos aspectos mais importantes desenvolvidos em nossas formações Myox é aquele que se refere à progressão, exigência e individualização em relação à combinação do impulso elétrico com ações isométricas. dinâmico-concêntrico ou dinâmico-excêntrico. Fique atento ao nosso blog, palestras e formações e forneceremos informações privilegiadas.

 

Espero que este artigo tenha ajudado e inspirado você, meu nome é Juan Peris, especialista em eletroestimulação há quase 20 anos, estou e estarei à disposição para atender suas dúvidas; você pode refletir seus comentários neste blog abaixo ou participar de nossos fóruns.

 

 

 

 

 

Juan Peris

 

juan@juanperis.fit

Deja tu comentario

WhatsApp chat